Este blog é um espaço de estudo e discussão sobre a importância das Novas Tecnologias na educação.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A Corrente do Bem: A Família e a Escola


Identificação

A Corrente do Bem: A Família e a Escola, projeto elaborado e desenvolvido no ano de 2011 na 8ª série “B” e estendido ao ano em curso na atual turma do 1º Ensino Médio “B” da Escola de Jatobá - Ensino Fundamental e Médio - Cadastro Escolar da Secretaria de Educação – E. 604.003, localizada à Rua da Matriz, Nº. 50 – Centro – Petrolândia – Pernambuco - CEP-56.460-000.
            A escola é composta pela seguinte equipe de coordenação: Maria Nazareth Valgueiro Carvalho (Gestora), Maria Francisca Freire do Nascimento (Gestora adjunta), Audrey Clécia Dantas de Souza (Secretaria), quatro Educadoras de Apoio e uma Técnica Educacional. Pertence à Jurisdição da Gerência Regional de Educação do Sertão do Sub Médio São Francisco – Floresta - PE, oferecendo à comunidade petrolandense os cursos de Ensino Fundamental 5ª a 8ª série (6º ao 9º ano) nos turnos matutinos e vespertinos; Ensino Médio (1º ao 3º ano) nos turnos matutino, vespertino e noturno; Ensino Normal Médio (1º ao 4º ano) no turno vespertino com aulas práticas no turno matutino; Travessia Ensino Fundamental e Travessia Ensino Médio no horário noturno e Educação Especial nos horários matutino e vespertino, atendendo a 1.054 (mil e cinquenta e quatro) alunos.

Justificativa

            Este projeto foi elaborado com a intenção de elevar a autoestima dos alunos da 8ª série – turma B em 2011 e amenizar a indisciplina resultante da vivência social conflitante entre professores/alunos, especialmente no que se refere a 11 alunos desta turma, proporcionando uma maior interação entre alunos/professores/pais para melhor qualidade do ensino aprendizagem.                                                                                                                                                                                                                              
Objetivo geral
O projeto busca promover uma interação convergente, complementar e sinérgica com os pais e os professores da escola, visando oportunizar vivências que possibilitem refletir o comportamento dos adolescentes nos dias atuais, instrumentalizando-os para assumirem o compromisso com o caminho percorrido pelos mesmos, acompanhando e provocando impactos positivos em suas vidas, bem como favorecer uma participação que gere compromisso da família com a aprendizagem e o sucesso escolar do aluno e o compromisso da escola com a inserção curricular do ambiente cultural da família e da comunidade.

Objetivos específicos
·     Envolver os familiares na elaboração da proposta pedagógica para que seja estabelecido um equilíbrio no que diz respeito à disciplina dos alunos, através de convites às reuniões para elaboração do PPP (Projeto Político Pedagógico) e da PP (Proposta Pedagógica);
·     Trabalhar a autoestima e a responsabilidade de cada aluno, partindo do incentivo ao trabalho voluntário (ajudante do dia);
·     Promover encontros com alunos e com os professores e os pais a partir do oferecimento de palestras, visitas domiciliares para maior integração entre o grupo, e atendimento individual a fim de conhecer melhor o aluno;
·     Oferecer oficinas e cursos para os alunos com o fim de orientá-los e aprimorar seus conhecimentos e proporcionar-lhes uma ocupação útil e atraente.

Metodologia e estratégias de ação
            Os alicerces da construção e manutenção de uma escola que visa a construção da cidadania para seus alunos se acentuam em pilares como: autonomia, participação, clima organizacional e estrutura organizacional, e dessa forma, com bases nesses pilares, o sonho de educadores comprometidos com a cidadania de seus alunos deve tornar-se verdadeiro, e quanto melhor for a parceria entre a família e a escola, mais significativos serão os resultados na formação do filho/educando. A participação dos pais na educação formal dos filhos deve ser constante e consciente. Vida familiar e vida escolar são simultâneas e complementares. Portanto, a abrangência desse projeto se define no decorrer do processo: na reunião de Pais e Mestres quando se discute sobre os desafios mediante situações-problema dos alunos e colhem-se sugestões para temas posteriores; através de atividades diversificadas e formação de parceria com profissionais da área de saúde; igrejas; militares (Direitos e Deveres - ECA); agendamento com o Promotor de Justiça com a temática: Responsabilidade do Pai e o Dever do Filho/Estudante; agendamento com a Psicanalista; oficinas com noções do Corel Draw e designer moda (serigrafia); comemoração da Semana da Família na escola no mês de Agosto com a Pastoral da Família; encontros com alunos, pais e professores e curso de Pop Art com a pedagoga Paula Francinete. E durante as aulas de matemática, em datas comemorativas, vivenciadas aulas lúdicas e dinâmicas, e a realização de visitas domiciliares dos alunos que participam do projeto para troca de mensagens, presentes, balaios juninos, natal em harmonia, para maior interação entre os membros.

 Atividades
No início do ano letivo foi determinado perante reunião de pais e mestres que o projeto seria executado anualmente e a rotatividade poderia se estender a anos subsequentes através de encontros para desenvolvimento das atividades do projeto às terças-feiras no contraturno, onde vivenciamos uma diversidade temática:
·      Palestra “Indisciplina na Escola” com a Psicóloga Drª. Silvana Sá para os alunos;
·      Palestra “Indisciplina como nossa maior aliada” com a Psicóloga Drª. Andreza Carvalho (encontro com os professores da 8ª série/ 9ºAno “B”);
·      Palestra “Autoestima” com a Pedagoga Damiana Josierlânia Góis para os alunos;
·      Palestra “Convivência Familiar” com o Pastor Ricardo Rodolfo Leal para pais e alunos;
·      Palestra “Bulling” com a Freira Edjane e “Amor ao próximo” com o Seminarista Zenildo Araújo:
·      Palestra “Indisciplina: limites e possibilidades” com a pedagoga Paula Francinete;
·      Palestra ”Alimentos Saudáveis” com a Nuticionista Drª Paula Roberta Ramalho Leal Campos;
·      Reuniões com alunos, pais e professores para diálogo e diagnostico da situação e avaliação dos trabalhos;
·      Visitas às famílias dos alunos envolvidos e aplicação de questionários;
·      Semana da Família na escola no mês de Agosto com a Pastoral da Família;
·      Uma tarde terapêutica - “Divã na Escola” com a professora Ediane Cordeiro;
·      Visita à sala do Promotor de Justiça com a temática: Responsabilidade do Pai e o Dever do Filho/ Estudante para autorização de medida disciplinar;
·      Durante as aulas de matemática em datas comemorativas às  quintas-feiras, vivência de aulas lúdicas e dinâmicas;
·      Curso de Pop Art. com a pedagoga Paula Francinete para os alunos;
·      Curso com noções do Corel Draw  com Herbert Claus e Paula Francinete para os alunos;
·      Oficina de designer moda (serigrafia) com a amiga da Escola Onilde Brandão;
·      Visitas domiciliares dos alunos que participam do projeto para troca de mensagens, presentes, balaios juninos, natal em harmonia, para maior interação entre os membros.
· Grupo Doutores da Alegria para visitas ao doentes no hospital municipal, em postos de saúde e em residências (2012);
·  Eleição de Prefeito e Vereadores Escolar para ajudarem a gestão da escola nas atividades do dia a dia (2012);

·      Outras atividades com Izabel Cristina Sales Lima - Educadora de Apoio que acompanha a referida turma, tais como: revista em quadrinho, palavras cruzadas, confecção do “Jornal Jatopordentro”  e coleta de depoimentos dos alunos avaliando o trabalho desenvolvido (2011/2012);

Evidências
















Cronograma
            O projeto será desenvolvido durante todo o ano letivo com início em março de 2011 estendido ao ano em curso 2012.
 Recursos
Recursos materiais:
·      Papel,caneta, textos mimeografados, panfletos, questionários, computador, projetor multimídias, tintas, tecidos, jogos, material esportivo, outros.

Recursos Humanos:
·      Educadora de apoio: Izabel Cristina Sales Lima, Alunos, Pais e responsáveis dos alunos    Comunidade local, Professores das disciplinas envolvida, Equipe gestora.
Disciplinas envolvidas 
·      Linguagem códigos e suas tecnologias: textos coletivos, criação de panfletos, utilização da escrita, leitura de textos complementares, oficinas e cursos;
·      Matemática: O lúdico em aulas dinâmicas com contagem de letras, gravuras, jogos e situações-problemas;
·      História e Geografia: A árvore genealógica, comparar fotos passadas e atuais, etc;
·      Ciências: higiene e corpo humano, alimentos saudáveis e DSTs;
·      Ensino Religioso: A importância do trabalho em grupo e o respeito ao próximo.

Avaliação
 A avaliação do projeto realizada com acompanhamento psicológico e psicopedagógico, de forma contínua através de observações da aprendizagem dos alunos tanto no que diz respeito ao desempenho escolar e frequência, e através de depoimentos dos próprios alunos.
Observa-se que esta turma através deste projeto teve melhoras significativas no desempenho escolar e comportamental. E vale ressaltar que as aulas de matemática ficaram mais dinâmicas e agradáveis através da utilização da prática pedagógica da atividade lúdica da matemática ao divã.
 Conclusão
O presente trabalho veio trazer a nós educadores a reflexão sobre a necessidade de se estudar a relação família e escola, onde o professor se dedique em considerar o aluno/filho globalizado dentro do espaço escolar. Da mesma forma, que essa parceria seja uma porta aberta para uma maior participação dos pais, onde juntas: Família e Escola, possam planejar a fim de estabelecer compromissos de uma forma organizada e harmoniosa para que seus filhos/alunos tenham uma educação de qualidade, tanto na escola quanto em casa.

Para que haja uma possível participação dos pais na escola é importante que a família e escola sejam trabalhadas com mais intensidade, procurando observar seus pontos críticos, a fim de juntas manterem uma relação direcionada a resolver as dificuldades provenientes da educação escolar de seus filhos/alunos.

Referências bibliográficas
. A Importância da Parceria Família e Escola – Educador Brasil Escola. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br
. Educa sempre: FAMÍLIA - Dicas de atividades para projeto na escola. Disponível em: www.educasempre.com/2011
. Família e Escola. Disponível em: www.patobranco.pr.gov.br/familiaescola

. A Importância da parceria família e escola – Educador Brasil Escola.

domingo, 21 de outubro de 2012

COMEMORAÇÃO DO DIA DO PROFESSOR NO PROGEPE

Dia 20 de outubro após o penúltimo encontro do PROGEPE a organização do mesmo realizou uma festinha em homenagem ao Professor pela recente passagem do seu dia. Valeu Gente!




quinta-feira, 20 de setembro de 2012

PROJETO E SUAS CARACTERÍSTICAS





A melhoria da qualidade da educação atualmente tem sido um desejo de todos, escola, comunidade e governo, para que o seu desenvolvimento atenda as necessidades do indivíduo e consequentemente as necessidades da sociedade. É notório que para chegar a essa qualidade almejada, necessitamos trabalhar em conjunto desenvolvendo competências que permitam realmente aprender um com o outro, professor/aluno, aluno/aluno, construindo o conhecimento de forma participativa.
Os projetos educacionais muito podem colaborar com a melhoria da aprendizagem e, por conseguinte com o aprimoramento da qualidade da educação, sendo um processo participativo de decisões a partir da vontade de compreender, decidir e agir em conjunto na direção de superar problemas, priorizando a formação do cidadão. Os projetos podem ser planejados e organizados de muitas formas, porém algumas características são fundamentais para que se possa alcançar o êxito desejado:
1.    Conhecimento do assunto que será estudado e pesquisa do mesmo previamente;
2.    Definição dos objetivos, do tempo estimado e do material a ser usado;
3.    Planejamento, em conjunto, das etapas do projeto;
4.    Participação ativa de todos os envolvidos;
5.    Escolha dos critérios de avaliação para um possível replanejamento do trabalho.

Um projeto pode ser desenvolvido com foco em um tema de uma determinada área do conhecimento, porém sempre haverá alguma relação com outras áreas. “O parcelamento e a compartimentação dos saberes impedem apreender o que está tecido junto [...] A inteligência parcelada, compartimentada, mecanicista, disjuntiva e reducionista rompe o complexo do mundo em fragmentos disjuntos, fraciona os problemas, separa o que está unido, torna unidimensional o multidimensional” (MORIN 2001). O trabalho interdisciplinar estabelece integração entre professores e ligação entre os conhecimentos que, aliado a uma boa orientação, possibilita a construção de um conhecimento globalizante e, por conseguinte, uma melhor aprendizagem, pois o estudante desenvolve a capacidade de selecionar, organizar, priorizar, sintetizar, analisar e reorganizar, enfim, de “aprender a aprender”.
Para Paulo Freire, ao trabalhar com projetos interdisciplinares, ``tanto educadores quanto educandos envoltos numa pesquisa, não serão mais os mesmos. Os resultados devem implicar em mais qualidade de vida, devem ser indicativos de mais cidadania, de mais participação nas decisões da vida cotidiana e da vida social. Devem, enfim, alimentar o sonho possível e a utopia necessária para uma nova lógica de vida``.

Francisca Freire

DIÁLOGO TEÓRICO - Projetos na Escola


O objetivo principal de planejar é possibilitar um trabalho mais direcionado e transformador. Acredito que um aspecto de suma importância para o trabalho por projeto seja a participação dos alunos em todas as suas etapas. A participação efetiva na fase de construção, por exemplo, despertará nos educandos o prazer na vivência do projeto, visto que se trata de algo do seu interesse, aumentando a probabilidade de melhores trabalhos e maior êxito. Cabe ao professor, no entanto, incentivar, acompanhar, coordenar e avaliar para junto aos alunos, por meio da reflexão, captar as necessidades e promover ajustes e/ou mudanças, com o fim de superar as dificuldades para que se possa atingir o objetivo desejado e uma aprendizagem mais significativa.
Para Paulo Freire o aluno mesmo não alfabetizado chega à escola com uma bagagem de conhecimentos que precisa ser levada em consideração como saberes, podendo em sala de aula aluno e professor aprenderem um com o outro necessitando para isso que as relações entre ambos sejam afetivas e democráticas, garantindo a todos a possibilidade de se expressar. A escola segundo Freire deve ter o objetivo principal de ensinar o aluno a “ler o mundo” (conhecer a realidade) para poder transformá-lo, e o professor deve agir como mediador dessa aprendizagem criando as possibilidades para que o aluno possa produzir ou construir o conhecimento. Freire afirmava também que, enquanto a escola conservadora procura acomodar os alunos ao mundo existente, a educação que defendia tinha a intenção de inquietá-los.
Evidentemente é correto afirmar que todos sabem alguma coisa, ninguém ignora tudo como também ninguém sabe tudo e que sempre temos oportunidade de aprender, especialmente com nossos alunos com quem convivemos quase que diariamente. Certamente o papel da escola é possibilitar ao aluno conhecer para entender e agir conforme acredita, e a inquietude provocada pela curiosidade, é sempre bem-vinda, na medida em que, o leva ao desejo de indagar, procurar, pesquisar, enfim de aprender.

Francisca Freire





segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Usando o Movie Maker



Encontro presencial do Curso Tecnologias na Educação: Ensinando e Aprendendo com as TIC.

"Para ser bem sucedido no trabalho, a primeira coisa a fazer é
 apaixonar-se por ele."


Mary Laureta

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

OS CHATS - uma ferramenta didática



As Tecnologias da Informação e da Comunicação têm vindo a provocar uma enorme mudança na Educação, originando novos modos de difusão do conhecimento, de aprendizagem, e, particularmente, novas relações entre professores e alunos.As pesadas enciclopédias foram substituídas pelas enciclopédias digitais, pela consulta de portais académicos e outros locais diversificados. Passamos a utilizar sistemas electrónicos e apresentações coloridas para tornar as aulas mais atractivas e, frequentemente, deixamos de lado o tradicional quadro negro e o giz e passamos directamente para as superfícies e projecções interactivas.

Veja mais em:

http://superdom.blogs.sapo.pt/