Este blog é um espaço de estudo do Curso de Especialização em Gestão Escolar da Escola de Gestores - UFPE.

domingo, 20 de julho de 2014

FORMAÇÃO CONTINUADA

      A Aula Atividade na Escola de Jatobá acontece em dias de terça-feira e quinta-feira com a coordenação das Educadoras de Apoio Izabel cristina Sales Lima e Ana Angélica de Souza que com muita competência coordenam os trabalhos de Formação Continuada e contam, é claro, com a ajuda de todos que fazem parte da equipe gestora. São esses trabalhos de grande valia para a formação dos professores e, consequentemente, para a melhoria dos resultados educacionais. 











2º SEMESTRE COM FORÇA TOTAL

          Retornando aos trabalhos em continuação ao 1º semestre e com os objetivos de: Apresentar o consolidado do  comparativo do 1º e 2º bimestre para uma análise discursiva; Proporcionar momentos de reflexão sobre "O Estresse Profissional" e a "Indisciplina na Escola" com o intuito de resgate da auto estima do funcionário; Avaliar o resultado do 2º Colegiado de Estudantes para possíveis ações interventivas, ocorreu a FORMAÇÃO INICIAL DO 2º SEMESTRE em 27 de julho que foi um verdadeiro sucesso, com direito a momento de reflexão, uma excelente palestra proferida pela Psicologa Joana d'Arc Valgueiro Barros da GRE - Floresta com o tema "O Estresse Profissional", além de atividades outras realizadas pelas educadoras de apoio Ana Angélica de Souza e Izabel Cristina Sales Lima e a gestora Maria Nazareth Valguiero Carvalho.











2º COLEGIADO DE ESTUDANTES

          Com o tema: A ESPIRITUALIDADE NA CULTURA MODERNA aconteceu o 2º Colegiado de Estudantes 2014 da Escola de Jatobá tendo como palestrantes o jovem Luan e o Presidente do Grêmio Estudantil Cristino Alexandre.



Gestora Maria Nazareth fazendo a abertura do Colegiado de Estudantes.






quarta-feira, 25 de junho de 2014

EQUIPE GESTORA DA ESCOLA DE JATOBÁ EM BUSCA DE MELHORIAS NA EDUCAÇÃO

A Equipe Gestora da Escola de Jatobá reuni-se ordinariamente no dia de segunda-feira às 18 horas para discutir assuntos relacionados a vida escolar buscando soluções para os entraves e as dificuldades do cotidiano escolar, com vistas em melhorias na qualidade da educação oferecida pela escola.

Gestora: 
Maria Nazareth Valgueiro Carvalho

Gestora Adjunta: 
Maria Francisca Freire do Nascimento

Secretária: 
Audrey Clécia Dantas Souza

Educadoras de Apoio: Ana Angélica de Souza e
                                    Izabel Cristina Sales Lima

Técnica Educacional: Maria Ozita Ana Silvana Barros e
                                   Solange Maria de Souza.









PERFIL DE PROFESSORES E DIRETORES

Pesquisa internacional revela perfil de professor e diretor

Quarta-feira, 25 de junho de 2014 - 09:50

No Brasil, 94% dos professores dos anos finais do ensino fundamental concluíram a educação superior. Mais de 95,1% acreditam que podem ajudar os alunos a pensar de forma crítica. As constatações aparecem nos resultados da Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem (Talis), realizada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e coordenada no Brasil pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).
A Talis foi realizada por amostragem, em 2013, em 34 países. Mais de 106 mil professores responderam à pesquisa. No Brasil, a amostra foi composta por 14.291 professores e 1.057 diretores de 1.070 escolas. O objetivo é comparar internacionalmente a opinião de professores e diretores sobre desenvolvimento profissional, crenças e práticas de ensino, apreciação do trabalho dos professores, feedback (retorno) e reconhecimento do trabalho, além de questões acerca de liderança, gestão e ambiente de trabalho.
Segundo a Talis, o professor típico brasileiro é mulher (71%), tem 39 anos de idade e 14 de experiência no magistério, em média. Nos outros países, as mulheres também são maioria nas escolas (68%), têm 43 anos de idade e 16 de experiência. Elas também são maioria em cargos de direção no Brasil (75%). Nos outros países, esse percentual é de 49%.

VEJA MAIS EM...

O CELULAR NA SALA DE AULA


Lei proíbe uso de celular na sala de aula

Juca Gil. Foto: Marcos Rosa
Debate Legal
Juca Gil é professor de Políticas Educacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Lei Nº 4.131/2008, do Distrito Federal

A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou, em maio de 2008, uma lei que proíbe alunos de usar celulares e aparelhos eletrônicos como MP3 players e videogames em escolas públicas e privadas da Educação Básica. Está liberada a utilização nos intervalos e horários de recreio, fora da sala de aula, cabendo ao professor encaminhar à direção o aluno que descumprir a regra. O projeto de lei que originou a norma diz que o uso do telefone pode desviar a atenção dos alunos, possibilitar fraudes durante as avaliações e provocar conflitos entre professores e alunos e alunos entre si, influenciando o rendimento escolar. Se por um lado, a tecnologia serve de apoio às ações educacionais, por outro o seu uso exacerbado se torna um empecilho. Há diferenças entre a discussão das formas e dos modos de fazer uso de tecnologias em espaços coletivos e sua exclusão. A escola tem o dever de humanizar e educar cidadãos, posicionando-se por vezes no fio da navalha entre exercer a autoridade e ser autoritária. Não é imprescindível criar uma lei para disciplinar o uso desses aparelhos nas escolas, pois as determinações sobre essa questão podem constar do regimento interno e do projeto político-pedagógico.

Disponível em:

---------------------------------------

        Concordo que o celular é hoje uma ferramenta muito importante como aliada do professor, principalmente se pensarmos o quanto os seus aplicativos na atualidade despertam o interesse dos jovens, e que muitos não  conseguem largar o "bendito celular um segundo". Porém, nem só de celular pode viver a educação! Existem outras ferramentas que necessitam serem usadas para que se tenha êxito na aula, e é ai, que precisamos dos benditos celulares guardados, pois se estiverem nas mãos dos alunos estes não prestaram um mínimo de atenção a aula. Portanto, acredito que a escola precisa ter normas a este respeito registradas no PPP da escola e no Regimento Interno, e que essas normas sejam discutidas e aprovadas por professores, alunos e pais ou responsáveis.

Francisca Freire

quarta-feira, 18 de junho de 2014

PARCERIA COM A CESVASF

Projeto Saboreando a Poesia desenvolvido no Espaço Paulo Freire da Escola de Jatobá com a parceria do Centro de Ensino Superior do Vale do São Francisco - CESVASF.








Veja Mais fotos em...